Chacra Sexual ou Esplênico? Qual o Principal?

Padrão

art_chac_sex_espToda pessoa que se lançou sobre os temas bioenergéticos esbarrou, de imediato, no estudo dos chacras*. Uma das primeiras coisas que vemos a respeito do assunto é que existem sete chacras principais e é justamente nesse ponto que surge uma divergência.

Em alguns lugares veremos que os sete chacras principais são o Coronário, Frontal, Laríngeo, Cardíaco, Umbilical, Sexual e Básico** e em outros lugares, ao invés do Sexual teremos o Esplênico.

No Ocidente, quem divulgou mais a questão do chacra do baço ou esplênico foi Charles Webster Leadbeater***. Entretanto, ele tinha vários problemas em relação à sexualidade que podem ter tido origem no fato dele ter sido reverendo. Por esse motivo, ele suprimiu o estudo em cima do chacra sexual (dizia que era um centro perigoso para o desenvolvimento espiritual da pessoa) e colocou em seu lugar o chacra esplênico.

A partir dele, outros autores ocidentais tomaram a mesma postura, esquecendo-se de que o chacra do baixo ventre não é meramente um chacra de ativação da energia sexual, mas também um centro gerador de vida, pois é por sua ação (conjugada com o chacra básico) que o feto é energizado e desenvolve-se e é também o controlador das vias urinárias. Os Orientais não receberam essa mesma repressão sexual proveniente do Cristianismo; desta forma não hesitaram em classificar o chacra sexual como um dos centros de força principais e estudá-lo adequadamente.

É natural que nesse momento o leitor esteja questionando porque o chacra principal é o Sexual, como dizem os orientais e não o Esplênico como dizia Leadbeater e a resposta para essa questão é bem simples. Cada um dos chacras principais está ligado a uma glândula de controle.

O chacra Coronário está ligado à Pineal, o Frontal à Hipófise, o Laríngeo à Tireoide, o Cardíaco ao Timo, o Umbilical ao Pâncreas, o Sexual aos Testículos (homem) ou Ovários (mulher) e o Básico, às glândulas Supra-renais, enquanto o chacra Esplênico está ligado ao Baço, que não é uma glândula.

Não foi à toa que Leadbeater escolheu o chacra Esplênico para substituir o Sexual. Ele tem uma função importante na questão da absorção de vitalidade para o corpo, sendo um repositor energético que ajuda o chacra Cardíaco a distribuir a energia pela circulação do sangue e é através dele que penetra uma parte da energia do ambiente. Bem desenvolvido, favorece a soltura do duplo etérico e, consequentemente, o desenvolvimento da mediunidade, bem como a soltura do psicossoma em relação às projeções da consciência.

Nos estudos mais atuais sobre chacras já encontramos os dois sendo classificados e estudados, visando desenvolver um estudo mais completo.

Existem diversas técnicas para desenvolvermos adequadamente nossos chacras e esse desenvolvimento nos propicia um maior equilíbrio energético, repercutindo de maneira positiva em nosso ser como um todo.

* Chacras (do sânscrito: rodas) = Centros de Força. Transformadores de energia sutil do plano espiritual para o físico. Localizados no duplo etérico, interligados por um sistema de nádis (sistema circulatório energético na frequência do duplo etérico; um verdadeiro para-sistema nervoso interligando chacras e órgãos), e ligados às glândulas endócrinas.

** Esses nomes variam de acordo com a cultura e a linha que está sendo estudada.

*** Leadbeater foi discípulo de Blavatsky, colega de Annie Wood Besant e seu colaborador direto na condução da Sociedade Teosófica nas primeiras três décadas desse nosso século. Ele era um clarividente respeitável e muito competente. Por conta do que via nos planos extrafísicos, escreveu dezenas de livros (“A Clarividência”; “O Que Há Além da Morte”; “O Lado Oculto das Coisas”; “Os Chacras” e outros).

Paz e Luz

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *