A pândega da atual dicotomia social

A pândega da atual dicotomia social

Na semana passada tivemos um novo fato que evidenciou essa guerra da atual divisão social com base em posicionamentos que vivemos atualmente. O ex-presidente Lula, entre outros, foi solto em função de um entendimento do STF sobre a interpretação e aplicação da legislação. Essa soltura não implicou em inocência ou cancelamento do processo, ela se refere apenas ao momento em que um condenado (e ele ainda está nesta condição) deve ser recolhido para cumprir sua pena.

Não precisei nem de 5 minutos na internet para ver as mais diversas manifestações nas redes sociais, para os dois lados. Haviam desde manifestações equilibradas até as que fariam os mais fanáticos torcedores de futebol terem vergonha de manifestações tão extremadas, passando por festejos, ofensas e provocações dos dois lados, sendo que essas atitudes mais extremadas compunham a maioria das manifestações.

Não pretendo neste texto ser jurista, discorrer sobre o que é correto na questão da soltura, nem fazer juízo de valor sobre o réu, mas sim abordar a questão das rivalidades geradas a partir disto e as questões comportamentais.

Neste espectro político basta que realize uma critica a uma atitude de um deles que a maioria das pessoas já assume que você é totalmente contra em absolutamente tudo ao político ou partido que criticou e concorda com absolutamente tudo que o opositor faz e representa, as opções políticas são divididas em apenas duas, ignorando inclusive que há outras opções.

Este comportamento é extremamente simplório, completamente desprovido da maturidade e complexidade que o assunto exige. Quando concordamos com algo que os políticos ou qualquer outra pessoa faz, não significa que concordamos com tudo que eles já fizeram, que demos carta branca para que seja feita qualquer coisa que previamente está aprovado pelo nosso senso ético e moral, entre outros.

Neste momento o leitor pode achar que estou exagerando na colocação, e para os que acham isso faço um convite: gaste algum tempo nas redes sociais e observe as trocas de mensagens entre amigos, perceba que estou falando de pessoas que tem alguma afinidade, observe as posturas sobre as questões políticas, veja o que ocorre quando há discordância de posicionamento.

As discordâncias são normais e fazem parte de todo e qualquer processo democrático, não só são normais como são necessárias, importantes e mais que isso, são fundamentais para construção de algo melhor. Não se concorda 100% com nada que está sendo feito ou decidido, são fundamentais os debates e ajustes, em algumas coisas seremos atendidos, em outras não e desta forma se constrói com maturidade os caminhos.

Entenda que as pessoas não concordarão com tudo, saiba expressar o que pensa, defender sua opinião com os devidos argumentos, altera-la se considerar necessário, mas faça isso com maturidade e respeito e também saiba ouvir e respeitar uma opinião diferente da sua e, principalmente, mesmo que não concordem com posições diferentes tenha maturidade e respeito para conviver com as diferenças.

Paz e Luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *